Processo De Aproveitamento da Energia e dos Compostos Inorgânicos Resultantes da Queima da Casca e/ou Palha do Arroz

 

Introdução

A presente invenção permite o aproveitamento tanto da energia quanto dos componentes inorgânicos resultantes da queima controlada da casca e/ou palha do arroz. Os processos não envolvem hidrólise ácida destes compostos, podendo ser empregados em termoelétricas sem causar efeitos de corrosão. 

Figure 1  Sílica extraída da casca de arroz.

Objetivos

Utilizar os resíduos da queima da casa e/ou da palha de arroz em temperatura e tempo controlados para:

a) Obtenção de energia térmica da parte orgânica desses rejeitos, empregadas em termoelétricas por meio da geração de vapor;

b) Obtenção de nanosílica amorfa de alta área superficial específica;

c) Recuperação parcial dos compostos dos elementos de sais inorgânicos, do potássio, cálcio, magnésio, fósforo e minoritários.

A sílica produzida tem o grau de pureza maior, sílica amorfa com alta Área Superficial Específica, de ordem de 400 m²/g.

O processo evita a produção da sílica na forma vítrea e parcialmente cristalina, que quando aspirada causa a silicose, uma doença que afeta gravemente os pulmões de forma irreversível.

A extração da sílica é alcançada sem prejuízo do aproveitamento energético dos compostos orgânicos contidos na casca.

 

 

Aplicações e público alvo

Industrias beneficiadoras de grãos de arroz e indústrias que produzem sílica.

 

 

Estágio de desenvolvimento

 

Parceiros: FAPESP

Patente n° PI 0107256-0

Informação sobre a PI:
Para mais informações, entre em contato:
Eduardo Vieira De Brito
ADMINISTRADOR
Universidade de São Paulo
55 16 3373 8052
eduardobrito@usp.br
Inventores:
Palavras-chave:
© 2019. All Rights Reserved. Powered by Inteum