FORMULAÇÃO DE ÁCIDO PARA TRATAMENTO SUPERFICIAL UTILIZADO EM PROTOCOLO ADESIVO RESTAURADOR DE RESINA COMPOSTA ODONTOLÓGICA

 

INTRODUÇÃO
          O condicionamento ácido dentinário tem se mostrado um procedimento seguro e com boa adesão imediata em protocolo adesivo restaurador de resina composta odontológica. Os sistemas adesivos apresentam uma limitação da difusão dos monômeros de resina no interior da rede de colágeno. Isto resulta em infiltração incompleta na parte inferior da camada híbrida, propiciando fibrilas colágenas desprotegidas, que são suscetíveis à degradação enzimática pelas metaloproteinases de matriz (MMPs) presentes nas fibrilas colágenas dentinárias. Apesar de fisiologicamente serem inativas dentro da dentina, podem ser ativadas pela ação do ácido fosfórico. As MMPs são endopeptidases presentes na dentina que contribuem para a organização e mineração da matriz dentinária. Estas enzimas endógenas são expressas como enzimas inativas (zimogênios), e podem ser ativadas em pH por volta de 4,5, promovendo assim a degradação das fibras colágenas e de componentes da matriz extracelular. Sendo que os condicionadores ácidos contemporâneos apresentam pH baixo, o que propicia a ativação das MMPs.

A presente invenção incorporou os agentes naturais Quitosana e Epigalocatequina-3-galato, no ácido fosfórico 35%, gerando propriedades capazes de minimizar a ativação das MMPs da dentina ao condicionamento ácido, e proteger/reforçar as fibrilas do colágeno presente na dentina, propiciando maior adesividade e longevidade às restaurações de resina composta odontológicas.

 

APLICAÇÕES E PÚBLICO ALVO

          Aplicado na atividade clínica em tratamentos odontológicos. Empresas fabricantes de produtos odontológicos. 

               

                                                         Figura: Imagem representativa do produto.                      

 

  ESTÁGIO DE DESENVOLVIMENTO

   

               

Área: Saúde e Cuidados Pessoais - 0017/2017 - FORP                                    Polo Ribeirão Preto e Bauru

Pedido de Patente protegida sob o nº:  BR102018005634-4                                       foprado@usp.br

                                                                                                                                      www.patentes.usp.br

Informação sobre a PI:
Para mais informações, entre em contato:
Flávia Oliveira Do Prado Vicentin
Universidade de São Paulo
55 (16) 3315-4591
foprado@usp.br
Inventores:
Lourenço De Moraes Rego Roselino
Juliana Jendiroba Faraoni
Regina Guenka Palma-Dibb
Debora Fernandes Costa Guedes
Alessandro Dibb
Palavras-chave:
© 2019. All Rights Reserved. Powered by Inteum