MÉTODO DE PRODUÇÃO DE NANOPARTÍCULAS DE LIGNINA

 

INTRODUÇÃO
          A lignina é um material renovável e a segunda macromolécula de origem biológica mais abundante do planeta.Industrialmente, é um subproduto dos processos de produção de papel e celulose, bem como um resíduo na geração de etanol celulósico. Possui várias aplicações industriais, como sua queima direta para produzir bioenergia e algumas aplicações mais sofisticadas. No entanto, a sua utilização em escala macro envolve uma série de desafios devido a sua estrutura química extremamente complexa e heterogênea. Deste modo, a produção de nanopartículas de lignina surge como uma alternativa promissora para expandir seu potencial de aplicações.

            O método proposto visa produzir nanopartículas de lignina por via exclusivamente mecânica, escalonável e com baixa demanda energética. Este processo apresenta vantagens quando comparadas às rotaas químicas por ser de simples controle operacional e livre de químicos. Quando comparado aos processos químio-mecânicos, opera em condições de maior concentração de matéria-prima, pois não apresenta problemas de entupimentos. Além disso, as nanopartículas de lignina são produzidas com alto rendimento e apresentam excelentes propriedades, tais como elevada estabilidade dimensional, hidrofobicidade e dispersibilidade em solução aquosa.

 

APLICAÇÕES E PÚBLICO ALVO

Esta tecnologia se insere no campo da química renovável e nanotecnologia e promove a produção de nanopartículas de lignina a serem utilizadas em diversas áreas como a biomédica, automotiva, aeroespacial, farmacêutica, química e eletrônica. Além disso, sua incorporação na área têxtil e de embalagens gera produtos com elevada absorção UV, maior hidrofobicidade e propriedades antimicrobianas. O processo pode ser autônomo ou integrado a diversos setores industriais, principalmente o da biotecnologia (i.e., indústria de celulose e etanol de segunda geração).

 

               

                                             Figura  - Nanopartículas de lignina e suas principais propriedades e aplicações.

                     

  ESTÁGIO DE DESENVOLVIMENTO

   

Área: Biotecnologia   0028/2018   Escola de Engenharia de Lorena                                     Polo Lorena

Patente protegida sob o nº:  BR1020180074784-3                                                                 alelima@usp.br

 APOIO E FOMENTO: processo nº1502862-5, Fundação de Amparo                         www.patentes.usp.br

à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP). "As opiniões, hipóteses e

conclusões ou recomendações expressas neste material são de

responsabilidade do(s) autor(es) e não necessariamente refletem a visão

da FAPESP.

Informação sobre a PI:
Área(s):
Outros
Para mais informações, entre em contato:
Alexandre Venturini Lima
Universidade de São Paulo
55 11 3091 2938
alelima@usp.br
Inventores:
VALDEIR ARANTES
BRAZ DE SOUZA MAROTTI
Palavras-chave:
Lignina
Nanolignina
Nanopartículas
Nanopartículas de Lignina
© 2019. All Rights Reserved. Powered by Inteum